Novembro Azul: unidos contra o câncer de próstata

Publicado por: Equipe Labi Equipe Labi
12/11/2019
4 minutos de leitura

A reta final do ano reúne a luta contra diversas doenças. Se outubro é o mês do câncer de mama com o Outubro Rosa, novembro é marcado mundialmente pelo Novembro Azul, que combate o câncer de próstata.

De acordo com dados do Inca (Instituto Nacional do Câncer), um homem morre a cada 38 minutos em decorrência do problema.

Também segundo o Inca, a taxa de incidência da doença é seis vezes maior nos países desenvolvidos se comparados com os países em desenvolvimento.

Origem do Novembro Azul

A campanha, caracterizada pelo símbolo do bigode, surgiu na Austrália no ano de 2003. Inicialmente chamava-se Movember. O mês foi escolhido uma vez que o dia 17 de novembro é o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata.

O objetivo da iniciativa é ressaltar a importância da prevenção e do diagnóstico precoce da doença, que é o segundo tipo de câncer mais comum nos homens.

Sintomas

Primeiro, para entender a doença, é necessário ter conhecimento do que é a próstata. Ela é uma glândula que só o homem possui e faz parte de seu sistema reprodutor.

Está localizada na parte baixa do abdômen, abaixo da bexiga e sua principal função é auxiliar na produção do sêmen.

Assim como maior parte dos cânceres, o desenvolvimento do problema na próstata é silencioso, o que reforça a importância de se prevenir.

Quando os sintomas começam a aparecer, cerca de 95% dos tumores identificados já estão avançados.

Entre os sintomas, estão:

O Labi recomenda
  • Dificuldade e dores ao urinar; 
  • Necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite;
  • Dor óssea;
  • Infecção generalizada; 
  • Insuficiência renal
  • Sangue na urina ou no sêmen.

Prevenção e fatores de risco

Para prevenir o câncer de próstata, procure ter uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais. Reduzir o consumo de gordura, principalmente de origem animal, também ajuda.

Além disso, hábitos saudáveis auxiliam. Diminua o consumo de álcool, não fume, busque manter-se no peso ideal e pratique atividade física de maneira regular.

Outro ponto importante é não ter medo de procurar o médico. Homens têm um histórico de maior negligência com a saúde e os efeitos disso são muito negativos.

Estar atento aos fatores de risco também é uma forma de se cuidar. Um dos grandes fatores é a idade. As chances de desenvolver câncer de próstata aumentam consideravelmente após os 50 anos. A identificação precoce da doença é crucial para a cura.

Obesidade é outra condição que eleva as chances de surgimento da doença. Por fim, como em muitas doenças, o histórico familiar é um importante fator de risco.

Fique atento para casos familiares em avô, pai ou irmão. Em caso positivo, o indivíduo deve adiantar as consultas com o urologista.

Novembro Azul reforça diagnóstico

A revista Saúde e o Instituto Lado a Lado pela Vida realizaram uma pesquisa em agosto de 2019, com 2.405 homens,  e constataram que 59% deles não tem o costume de ir ao urologista.

Em relação ao câncer de próstata, essa urgência aumenta a partir dos 50 anos, quando aumentam as chances do surgimento do câncer. 

Para os homens que possuem fatores de risco, a idade para as visitas de aconselhamento ao urologista diminui para 45 anos.

O câncer de próstata é identificado por meio de dois tipos de exames. Um deles é o toque retal, que infelizmente enfrenta muito preconceito por parte dos homens. Este procedimento é rápido, indolor e de fundamental importância para constatar possíveis transformações na próstata, como endurecimento dos tecidos e formação de nódulos.

O outro exame está disponível no portfólio do Labi. Trata-se de um teste de sangue para medir o PSA (antígeno prostático específico) e constar possíveis alterações nos níveis. 

O aumento desta substância está associada ao aumento da próstata e pode, em alguns casos, indicar a presença de câncer.

Os dois tipos de análise são complementares e o urologista é o profissional especializado para decidir sobre a realização dos exames.

Por essas razões, é fundamental que homens visitem periodicamente o urologista, independente da idade. Afinal, o profissional pode identificar outras doenças da próstata e do sistema reprodutor que não estão relacionadas com a idade.

Quer receber novidades? Assine nossa newsletter

Quer receber novidades? Assine nossa newsletter: