Vacinas essenciais para mulheres

Publicado por: Letícia Lana Letícia Lana
01/04/2022
9 minutos de leitura
Menina recebendo a injeção da vacina contra HPV

Depois da infância, período em que a é dada maior atenção à necessidade de se vacinar, muitas mulheres esquecem a importância de manter a imunização em dia. A maioria delas vão descobrir apenas durante a gravidez que existem outras várias vacinas importantes para a saúde da mulher adulta. 

Neste artigo, iremos apresentar as vacinas essenciais para as mulheres e para a saúde feminina. 

Importância da vacinação

Ao nos vacinarmos, fortalecemos as defesas naturais do nosso corpo, o que impede quadros graves de diversas doenças. É uma forma segura e inteligente de permanecermos saudáveis e fortes.

E vale lembrar que os vírus e bactérias circulam de pessoa para pessoa e, para conseguir se propagar e se reproduzir, eles precisam achar indivíduos que não estão imunizados contra a doença. Portanto, a vacinação em massa diminui significativamente o número de pessoas suscetíveis à infecção e, dessa forma, o vírus não encontra vetores suficientes para circular e se propagar, o que o torna mais fácil de ser contido.

Quando a maioria da população é vacinada, cria-se uma espécie de “escudos invisíveis” que interrompem a cadeia de transmissão do vírus e/ou bactéria. Assim, protegemos indiretamente nossos amigos e familiares vulneráveis à doença. Esse fenômeno é conhecido como imunidade coletiva ou imunidade de rebanho. 

A partir das imunizações, a incidência de doenças que acometiam milhares de pessoas todos os anos no mundo inteiro sofreu uma queda acentuada, principalmente, enfermidades como coqueluche, sarampo, poliomielite e rubéola. No entanto, caso as pessoas parem de se vacinar, essas doenças podem voltar a se tornar uma epidemia e levar milhares de infectados à morte.

Quais vacinas as mulheres devem tomar?

Não existe um calendário de vacinação especificamente voltado à mulher. O calendário é dividido em ciclos de vida como bebê, criança, adolescente, adulto e idoso, além de considerar mulheres gestantes

E é assim que devemos pensar a saúde, uma vez que a criança será uma mulher, passará pela fase da juventude, a fase reprodutiva e se tornará idosa. 

Veja abaixo quais vacinas são indispensáveis para a saúde, de acordo com a Sociedade Brasileira de Imunização (SBIm):

Vacina de Hepatite A e Hepatite B:

A vacinação para Hepatite B começa já na maternidade, enquanto a hepatite A aparece no calendário após os 12 meses de vida. Em adultos, a vacina é recomendada para aqueles que tiveram a vacinação incompleta na infância ou que não sabem se já foram imunizados/já tiveram a doença

Vacina de Febre Amarela:

Normalmente, recomenda-se uma dose única da Vacina de Febre Amarela durante a vida, a partir dos 9 meses de idade. Entretanto, não há consenso sobre a duração da proteção dessa vacina, então uma dose de reforço passou a ser exigida para quem tomou a vacina antes dos 5 anos de idade.

Quem reside numa região de risco ou vai viajar também precisa tomar uma dose no mínimo 10 dias antes da viagem, pois alguns países pedem a apresentação do comprovante de vacinação contra a doença para o embarque.

Vacina da Gripe:

Todos devem tomar a Vacina da Gripe anualmente nos meses da sazonalidade do vírus. A Vacina da Gripe Quadrivalente previne contra o H1N1, H3N2 e também contra dois tipos da Influenza B, que dependem do vírus circulante no ano anterior e pode ser aplicada a partir de 6 meses de vida, sem restrições de idade.

Vacina de Herpes Zóster:

Apesar do nome, a Herpes Zóster é causada pelo mesmo vírus da catapora e qualquer um que teve a doença em algum momento pode desenvolver a herpes zóster.

O indicado é tomar uma dose da Vacina de Herpes Zóster a partir dos 50 anos e incluir a vacinação na rotina após os 60.

Vacina HPV Quadrivalente:

Considerada uma das Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) mais perigosas, o papilomavírus humano (HPV) tem mais de 150 subtipos e quatro são especialmente nocivos: os tipos 16 e 18, que podem causar câncer no útero, vagina, vulva e orofaringe; e os tipos 6 e 11, responsáveis pelo aparecimento de verrugas e microlesões nessas mesmas regiões. Estima-se que 80% das mulheres terão contato com essa doença antes dos 50 anos de idade e a vacina é a forma mais eficaz de proteção.

A Vacina de HPV Quadrivalente protege contra o HPV 16, 18, 6 e 11. O esquema de vacinação é dividido em três doses: 0 – 1 a 2 – 6 meses. Mesmo as pessoas que já entraram em contato com o HPV anteriormente devem se vacinar para se proteger contra os outros sorotipos do vírus.

Vacina Meningocócica B:

Apesar de ser mais frequente na infância, adultos também podem ser infectados pelo meningococo. Para mulheres adultas, a Vacina Meningocócica B recomendada é de duas doses com intervalo de um a dois meses entre elas. 

Vacina Meningocócica ACWY:

A meningite é uma doença de alta letalidade e de difícil previsão de antever o próximo surto epidêmico. No mundo todo temos a presença com maior relevância dos meningococos dos grupos  A, B, C, W e Y. 

A Vacina Meningocócica ACWY protege ao mesmo tempo contra esses quatro sorogrupos diferentes e, por ser uma vacina conjugada, possui efeito mais duradouro e uma dose basta para imunização.

Vacina Pneumocócicas (VPC13 e VPP23):

A bactéria pneumococo, responsável pela pneumonia, meningite, otite e outras doenças, também ameaça as mulheres. Três vacinas previnem as infecções dessa bactéria: a vacina pneumocócica conjugada 10-valente (VCP10), 13-valente (VCP13) e polissacaridica 23-valente (VPP23). O número se refere à quantidade de pneumococos que ela previne.

Para mulheres adultas, a vacinação entre 50-59 anos com VPC13 fica a critério médico. O esquema combinado de VPC13 e VPP23 é recomendado rotineiramente para indivíduos com 60 anos ou portadores de algumas comorbidades.

Vacina Tríplice Bacteriana Acelular:

Criada para proteger contra difteria, tétano e coqueluche, é necessário tomar a Vacina Tríplice Bacteriana Acelular cada 10 anos.

Vacina Tríplice Viral (sarampo, caxumba e rubéola):

Previne contra caxumba, sarampo e rubéola. Para ser considerado protegido, todo indivíduo deve ter tomar duas doses da Vacina Tríplice Viral na vida, com intervalo mínimo de um mês, aplicadas a partir dos 12 meses de idade. Indivíduos não vacinados ou que não têm o comprovante de vacinação deverão atualizar a vacina anti sarampo, caxumba e rubéola.

Vacina de Varicela (catapora):

Também conhecida como Catapora, a varicela é uma doença contagiosa causada pela infecção do vírus Varicela Zoster. O contágio acontece por meio do contato com o líquido das lesões cutâneas ou pela tosse, espirro, saliva ou objetos contaminados pelo vírus.

A melhor forma de prevenção e controle é por meio da Vacina de Varicela, que deve ser feita na infância. Em adultos, a vacina é recomendada para aqueles suscetíveis à doença e a imunização deve ser feita em duas doses com intervalo de um a dois meses entre elas.

Vacinas na gravidez:

Durante a gravidez, o sistema imunológico fica mais enfraquecido por conta das alterações hormonais e as mudanças que ocorrem no corpo da mulher, o que favorece a queda da imunidade e facilita infecções de maior gravidade. 

A vacinação durante esse período é essencial para garantir a saúde da mãe e do bebê, já que os anticorpos adquiridos pela mulher durante a gestação são transmitidos para a criança e foi graças à vacinação de gestantes que o Brasil conseguiu eliminar o tétano neonatal e materno.

Gestantes podem tomar vacina? 

É sempre válido lembrar que as vacinas são ferramentas extremamente seguras e eficazes para prevenir doenças infecciosas graves. A vacinação elimina ou reduz drasticamente o risco de casos graves de doenças e até mesmo de mortes. Por ano, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), as vacinas evitam de duas a três milhões de mortes.

Além de evitar complicações e óbitos em doenças graves, a vacinação é ainda mais importante na gravidez. Isso porque essas doenças infecciosas podem causar graves danos também para o bebê, como o aborto, a prematuridade e malformações fetais. 

Por conta disso, a imunização da gestante com as vacinas indicadas pela Sociedade Brasileira de Imunização (SBIm) para essa fase da vida é imprescindível na proteção dela e do bebê nos primeiros meses de vida. 

Outro benefício da vacinação em gestantes é que durante o primeiro ano de vida, o sistema imunológico do bebê se defende de infecções com os anticorpos recebidos da mãe via placenta ou leite materno. Portanto, a vacina protege não somente a mãe como também o bebê.

Quais vacinas a gestante deve tomar?

A Sociedade Brasileira de Imunização (SBim) recomenda que as gestantes tomem durante a gravidez as seguintes vacinas:

Em situações específicas, como epidemias ou quando a mulher apresenta algumas doenças crônicas, outras vacinas podem ser recomendadas. Nestes casos é necessária uma criteriosa avaliação médica para que o imunizante correto seja indicado. 

E seja com vacinas, exames, testes ou check-ups, conte sempre com o Labi para proteger você e sua família no conforto do seu lar e pelos melhores preços do mercado. 

TAGS: Vacinas para mulheres
Quer receber novidades? Assine nossa newsletter

Quer receber novidades? Assine nossa newsletter: