Amniocentese: saiba mais sobre o exame

Publicado por: Letícia Lana Letícia Lana
19/10/2021
5 minutos de leitura
Mulher grávida segurando a barriga

O pré-natal é uma etapa indispensável da gravidez que garante a saúde da mãe e do bebê e deve ser realizado por todas as gestantes. E um dos pontos mais importantes do pré-natal são os exames necessários durante esse período. 

Dentre os exames que podem ser solicitados para as gestantes está a amniocentese, um procedimento invasivo que muitas vezes causa insegurança nas mamães que precisam realizá-lo. Por conta disso, explicamos um pouco mais sobre o que é e como funciona esse exame. 

O que é amniocentese?

A amniocentese é um exame que pode ser realizado na gravidez – normalmente a partir do segundo trimestre de gestação – e que tem como principal objetivo identificar possíveis síndromes genéticas no bebê, como a Síndrome de Down e a Síndrome de Patau, ou complicações que possam acontecer devido ao surgimento de infecções na gravidez.

Esse exame é feito através de uma amostra do líquido amniótico, que é o líquido da bolsa que banha o feto. A amniocentese utiliza o líquido amniótico, pois o mesmo contém células do bebê que permitem o estudo do cariótipo fetal (estudo dos cromossomas do bebê para identificar anomalias genéticas).

Antigamente, todas as mulheres grávidas a partir de 35 anos de idade eram aconselhadas a realizar a amniocentese, pois após essa idade as chances de alterações cromossômicas no feto aumentam. Porém, atualmente, a idade materna deixou de ser a única indicação para a realização do exame e ele só é solicitado após a análise dos resultados de diversos rastreios que indicam o risco aumentado de aneuploidias (alterações cromossômicas).

Vale lembrar que apesar de ser um exame importante para identificar alterações genéticas e congênitas, a amniocentese não é um exame obrigatório na gravidez, sendo apenas indicado quando a gestação é considerada de risco ou quando há suspeita de alterações do bebê.

Como é feita a amniocentese?

Para realizar o procedimento, o obstetra realiza um ultrassom para verificar qual a posição do bebê e da bolsa de líquido amniótico, depois, o médico coloca uma pomada anestésica no lugar em que será feita a coleta de líquido amniótico.

Em seguida, o obstetra introduz uma agulha através da pele da barriga e retira uma pequena quantidade de líquido amniótico. Essa amostra contém células do bebê, anticorpos, substâncias e microrganismos que ajudam a fazer os testes necessários para diagnosticar a saúde do bebê para as condições analisadas.

O exame dura alguns minutos e, durante o procedimento, o médico escuta as batidas do coração da criança para observar se não existe nenhuma alteração no bebê.

Quais são os riscos da amniocentese?

Por se tratar de um exame invasivo, a  amniocentese oferece um risco, ainda que pequeno, de aborto para a gestante. Se o exame é realizado antes de 15 semanas de gravidez, o teste invasivo oferece um risco maior de interrupção da gravidez.

Outros problemas que podem ocorrer após a realização do exame – e que atingem cerca de 1% das gestantes – são: sangramento vaginal, perda de líquido amniótico e infecção e contaminação por Rh

Por conta disso, é preciso observar os sintomas e sinais presentes na mulher após a realização do exame. E em caso de Rh diferente entre a mãe e o bebê é necessário que ela já esteja imunizada com a Vacina Imunoglobulina Anti-Rh ou Anti-D para evitar a eritroblastose fetal.

Existe outra alternativa para a amniocentese?

O risco de anomalias genéticas consegue ser detectado na gestação através do NIPT Panorama Natera, que é um exame de triagem que avalia, por meio de uma simples coleta de sangue do braço da mãe, o DNA do feto e classifica – como alto ou baixo – o risco para várias condições genéticas, como Síndrome de Down, Turner, Patau e Edwards, e triploidias. Além das anomalias genéticas, o NIPT Panorama Natera também identifica o sexo do bebê. 

Vale lembrar que o NIPT é um teste de triagem e não um teste diagnóstico, ou seja, ele não oferece uma resposta definitiva e apenas avalia se a gravidez é de alto ou baixo risco para as condições analisadas.

No Labi, você faz o NIPT Panorama Natera sem sair de casa, no conforto do seu lar e tudo isso com os melhores preços do mercado e resultados de altíssima precisão.

NIPT Panorama Básico

Conte sempre com o Labi para te ajudar a cuidar da sua saúde e da sua família em todas as etapas da vida. 

Artigos Relacionados:

O que é o exame NIPT?

Como identificar a Síndrome de Down durante a gestação?

O que é a síndrome de patau?

Qual a diferença entre a sexagem fetal e o NIPT?

TAGS: Amniocentese gestação NIPT
Quer receber novidades? Assine nossa newsletter

Quer receber novidades? Assine nossa newsletter: