Ferritina: entenda os níveis dessa proteína

Publicado por: Equipe Labi Equipe Labi
09/09/2022
7 minutos de leitura

Primeiramente, precisamos entender a importância do ferro para a nossa saúde. O ferro é um nutriente essencial para a vida que desempenha papel fundamental no transporte de oxigênio das nossas células. Ele se liga à hemoglobina, uma proteína especial, e contribui para o transporte dos glóbulos vermelhos dos pulmões para outros tecidos do corpo. Em outras palavras, sem ferro, as nossas células ficam sem oxigênio e as consequências podem ser graves, desde uma anemia até a morte.

O que é ferritina?

O ferro está naturalmente disponível nos alimentos e existem dois tipos principais: o ferro heme, orgânico, e o ferro não-heme, também chamado de inorgânico. 

O primeiro tipo pode ser obtido em fontes de proteína animal, como aves, peixes e carne bovina. Já o ferro não-heme vem de fontes vegetais, incluindo leguminosas, nozes e folhas verdes escuras, como rúcula e brócolis.

O ferro heme é mais fácil para o nosso corpo absorver e é entre 14% e 18% biodisponível em dietas mistas, com consumo de vegetais e carnes. O ferro não-heme, fonte de ferro em dietas vegetarianas, tem uma biodisponibilidade de 5 a 12%, sendo absorvido pelo intestino em maior porcentagem (10 a 30%) do que o ferro não heme.

Assim, para que este ferro que ingerimos diariamente esteja disponível quando precisarmos, contamos com a ajuda de uma proteína fundamental: a ferritina. 

Esta proteína que é produzida pelo fígado funciona como principal reserva de ferro do organismo e pode ser encontrada em todas as células, “estocando” as moléculas de ferro para serem usadas na produção de hemoglobina.

O que é ferritina alta?

Autoridades de saúde consideram que valores de ferritina menores que 20 ng/ml indicam que os estoques de ferro do organismo estão abaixo da faixa normal.

Já resultados entre 20 ng/ml e 200 ng/ml estão dentro da faixa normal e  resultados acima de 200 ng/ml indicam reservas de ferro acima do recomendado. Neste último caso, o acompanhamento também é fundamental e explicaremos a seguir o porquê.

Ferritina alta: sintomas

O excesso de ferro no organismo pode ser tão prejudicial quanto a sua falta e causa sintomas como:

  • Perda de peso.
  • Arritmia cardíaca. 
  • Dores nas articulações.
  • Impotência.
  • Alterações no ciclo menstrual.

https://labiexames.com.br/exames/ferritina/Contudo, é importante dizer que, muitas vezes, níveis elevados de ferritina são observados mesmo sem haver excesso de ferro no sangue. Isso pode acontecer nas seguintes situações:

  • Leucemia.
  • Anemia.
  • Obesidade.
  • Síndrome metabólica.
  • Doença renal crônica.
  • Doenças hepáticas.
  • Abuso de álcool.
  • Infarto agudo do miocárdio.
  • Algumas infecções agudas ou crônicas, como a Covid-19.

Os sintomas de níveis altos de ferritina são pouco específicos e podem ser confundidos com muitas outras doenças e causas. Por conta disso, em um primeiro momento, pode ser difícil identificá-los. Daí a importância de manter contato com o seu médico de confiança e realizar exames e check ups de rotina periodicamente.

Como baixar a ferritina

Para baixar os níveis de ferritina deve-se evitar alimentos ricos em ferro como carne vermelha, verduras escuras (espinafre, couve e brócolis), além de reduzir o consumo de feijões e leguminosas, frutas cítricas, suplementos que contenham ferro e alimentos industrializados enriquecidos com ferro e Vitamina C.

 Ferritina alta  e Covid-19

Para a Covid-19, níveis alterados de ferritina podem ser tanto consequência da infecção, quanto um agravante que ajuda a perpetuar o ciclo inflamatório, especialmente quando o quadro é considerado severo. Já se sabe que a ferritina pode predizer o desenvolvimento da Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo (SDRA), uma das mais graves consequência da doença, bem como a sua gravidade.

Neste sentido, monitorar os níveis de ferritina no sangue é fundamental para que os profissionais de saúde consigam criar estratégias para evitar a progressão da doença.

Ferritina baixa: sintomas

Ter ferritina baixa interfere na produção de glóbulos vermelhos, células sanguíneas importantes para o transporte de oxigênio por todo o corpo. E, sem glóbulos vermelhos suficientes, nossos órgãos e sistemas podem não funcionar de maneira eficaz.

É importante obter ferro suficiente de alimentos ou suplementos para que se tenha ferritina adequada no corpo. Além da deficiência de ferro, os baixos níveis de ferritina também podem ser causados ​​por:

  • Perda significativa de sangue.
  • Doença celíaca.
  • Intolerância ao glúten.
  • Dietas vegetarianas ou veganas.
  • Hipotireoidismo.
  • Ciclo menstrual intenso.
  • Gravidez.

Os sintomas de ferritina baixa são semelhantes aos de uma deficiência de ferro. São eles: 

  • Tontura.
  • Fadiga extrema.
  • Zumbido nos ouvidos.
  • Unhas quebradiças.
  • Falta de ar.
  • Dores de cabeça.
  • Dificuldade de concentração.
  • Queda de cabelo.

Ferritina baixa e queda de cabelo

A queda de cabelo também pode ser um sintoma de níveis baixos de ferritina. Logo, a melhor maneira de tratar a perda de cabelo causada por baixos níveis de ferritina é aumentar os níveis de ferro no organismo e, para isso, pode ser necessário o uso de suplementos ou uma dieta com boas quantidades de alimentos ricos em ferro.

Como aumentar a ferritina

Por outro lado, para aumentar os níveis de ferritina deve-se incluir na dieta alimentos ricos em ferro. Vamos a alguns deles:

  • Carnes: carne vermelha, frango, peixes e carne de porco são boas fontes de ferro. Além disso, a carne vermelha também fornece Vitamina B12 que é fundamental para a produção de células e trabalha em parceria com o ferro.

Se você segue uma dieta vegetariana ou vegana, converse com o seu médico sobre opções de dieta sem carne que não prejudiquem os seus níveis de ferro.

  • Ovo: estima-se que 1 gema de ovo contenha 2,7 mg de ferro.
  • Feijão e outras leguminosas: soja, grão-de-bico e ervilhas são ótimas fontes de ferro.
  • Verduras escuras: brócolis, rúcula e espinafre são ricos em ferro e 100g desses vegetais contêm cerca de 3,6 mg do elemento.

Apesar de os sintomas serem um importante indicativo de excesso ou falta de ferro no organismo, a avaliação de um médico é essencial. Esse profissional poderá solicitar um Exame de Ferritina, um dos exames mais eficazes no monitoramento dos níveis de ferro no organismo.

O que é exame de ferritina

O exame de ferritina mede os níveis de ferritina no sangue e pode ajudar no diagnóstico de doenças e condições causadas pela falta ou excesso de ferro. No Labi, a coleta pode ser feita em uma de nossas unidades espalhadas pelo estado de São Paulo e Rio de Janeiro, sem precisar de agendamento, ou no conforto da sua casa. E o pagamento é facilitado: PIX, cartão de crédito e em até 12 vezes. Você escolhe!

Também temos disponíveis outros exames e testes que podem ser solicitados pelo seu médico, como hemograma completo,  ferritina, ferro sérico e teste de anemia. 

Sejam exames, testes, vacinas ou check-ups, conte com o Labi para te ajudar a cuidar da saúde sem complicação.

CONTEÚDOS MAIS LIDOS

Quer receber novidades? Assine nossa newsletter

Quer receber novidades? Assine nossa newsletter: